O Sistema Damon versus Aparelhos Convencionas:

Um Estudo Comparativo

dr derick tagawa

Dr Derick Tagawa

Eu comecei a usar o sistema Damon em 1997 e iniciei um estudo detalhado imediatamente para comparar certos indicadores de tratamento com os aparelhos convencionais de arco reto que estava utilizando. Eu senti que se eu fosse mudar do meu aparelho convencional para este Auto-Ligado Passivo, eu devia, para mim mesmo, meus funcionários e meus pacientes, ser capaz de quantificar as melhorias de tempo de tratamento e qualidade de resultados, se houvessem. Eu tive originalmente a intenção de usar o Sistema Damon por 2 meses, voltar ao meu aparelho convencional pelo tempo de meu estudo, e depois julgar a diferença entre
os 2 sistemas. Os resultados iniciais do meu estudo foram tão impressionantes que eu tomei a decisão de mudar minha clínica completamente para o Sistema Damon imediatamente, e nunca mais retornei ao meu sistema tradicional.

Sem duvida nenhuma, todo ortodontista pode e deve alcançar resultados excelentes usando qualquer uma das técnicas existentes, entretanto, minha experiência com o Sistema Damon tem resultado consistentemente alcançar excelentes resultados com relativa facilidade e velocidade, além de conforto e conveniência para os pacientes. O Sistema Damon também me ajudou a reduzir minha carga de clientes diários, enquanto, ao mesmo tempo, melhorou a qualidade geral de meu consultório. De fato, o Sistema Damon fez uma diferença tão grande em minha clínica e na qualidade do cuidado com meus pacientes, que posso afirmar sem dúvidas que se fosse obrigado a voltar para minha técnica tradicional, provavelmente eu pediria minha aposentadoria.

 

 

Eu comecei a usar o Sistema Damon em 1997 e iniciei um estudo detalhado imediatamente para comparar certos indicadores de tratamento com os aparelhos convencionais de arco reto que estava utilizando. Eu senti que se eu fosse mudar do meu aparelho convencional para este Auto-Ligado Passivo, eu devia, para mim mesmo, meus funcionários e meus pacientes, ser capaz de quantificar as melhorias de tempo de tratamento e qualidade de resultados, se houvessem. Eu tive originalmente a intenção de usar o Sistema Damon por 2 meses, voltar ao meu aparelho convencional pelo tempo de meu estudo, e depois julgar a diferença entre os 2 sistemas. Os resultados iniciais do meu estudo foram tão impressionantes que eu tomei a decisão de mudar minha clínica completamente para o Sistema Damon imediatamente, e nunca mais retornei ao meu sistema tradicional.

Com o Sistema Damon nossa clínica se tornou muito mais lucrativa, devido ao fato de que agora estamos terminando casos em média 7 meses mais rápidos e com muito menos visitas. Além do que, nosso numero de faltas ou cancelamentos caiu notáveis 44%. O estudo da JCO também indicava que o número de casos iniciados tinha caído pela primeira vez desde que o estudo começou a ser feito em 1981, com os clínicos reportando também que estavam menos otimistas com respeito ao crescimento futuro no menor nível comparação com outros estudos feitos desde 1987. Meu pessoal e eu temos obviamente uma experiência bem diferente, e nos sentimos extremamente positivos com relação ao futuro. Eu comentei este estudo com alguns colegas do meu grupo de estudos, citando minha transição para o Sistema Damon como base para comparação, e mostrando algumas das minhas estatísticas que eu havia coletado alguns anos antes. Uma coisa levou a outra, e fui convidado para palestrar no encontro da Pacific Coast Society of Orthodontics (PCSO) e depois no Damon Fórum.

E foi no Forum que o Dr Larry White me pediu para escrever um artigo sobre o estudo para o Clinical Impressions. Embora o estudo tenha alguns anos e tenha sido feito com os aparelhos Damon SL originais, os benefícios da transição do aparelho convencional para o Sistema Damon eram claros. Dado as melhoras no Sistema Damon nos últimos anos, e na minha maior adaptação ao Sistema, os resultados poderiam ser até melhores do que os mostrados.

                         FIGURA 1. AUMENTO DE PRODUTIVIDADE COM DAMON

PACIENTES POR DIA

ANTES DE DAMON

78 

DEPOIS DE DAMON

48

DIFERENÇA

- 38%

CRESCIMENTO DA CLINICA

+ 14,2 %

 

Meu pessoal e eu completamos o estudo que comecei com o Sistema Damon e, bem contentes com o resultado, o arquivamos. Então, ao revisar um estudo bi-anual de 2003
do Journal of Clinical Orthodontics (JCO), fui buscar o estudo de novo (junto com minhas estatísticas mais atualizadas) e fiquei surpreso por ver como minha clínica tinha se saído comparado com as clínicas “Mais Lucrativas do Estudo” no mesmo período de tempo. Enquanto a pesquisa mostrava uma queda no crescimento, ou mesmo zero crescimento, minha clínica cresceu 14,2% no mesmo período (em realidade, na pesquisa, afirmaram ser o menor crescimento desde 1991). Além do crescimento de mais de 14%, nós também uma redução de nossa carga de trabalho da ordem de 38% (fig. 1). Embora os brackets do Sistema Damon custem mais que os tradicionais, estes custos são compensados pela significante aumento de produtividade e significante diminuição da utilização de aparelhos acessórios (AEB, expansores, etc...) necessários.

 

FIGURA 2. ESTUDO COMPARATIVO DR TAGAWA

Damon Sistem 66 casos Brackets Convencionais 66 casos Média
convencional
Média
Damon
Mudanças
Numérica.
Mudanças
porcentual %
Damon Sistem 66 casosA. Tempo Total de Tratamento (meses) 27.5   20,3    7.2   26.2
B. Número de Consultas 31 16.3 14.8 47,7
C. Intervalo entre Consultas (semansas) 4-6 6-8 - -
D. Tempo de Alinhamento (meses) 6 3.2 -2.8 -46.7
E. Desconforto do Paciente ( 0=baixo, 10=alto)

4

 

1,3 -2,7 -67.5

 

Os objetivos do estudo foram o de comparar certos indicadores chave de tratamento com o Sistema Damon e o sistema convencional. O estudo contou com 66 casos tratados consecutivamente com o Sistema Damon (meus primeiros 66) e 66 pacientes consecutivos tratados com o sistema convencional. Não fiz nenhuma distinção entre dificuldade de maloclusão,
classificação de Angle, se o caso foi planejado com ou sem extração ou qualquer outra consideração além do fato que fossem todos tratados com brackets colados em todos os dentes. Os pacientes foram pesquisados e avaliados em cada consulta até o final do tratamento. Os dados coletados determinaram o tempo total de tratamento, numero de visitas, intervalo entre
visitas, tempo de alinhamento, desconforto do paciente e qualidade dos resultados. A Figura 2 mostra uma visão geral do escopo do estudo e dos resultados. Segue abaixo uma discussão de cada item.

 

A. TEMPO DE TRATAMENTO TOTAL. Definido como o tempo entre colagem inicial até o dia da remoção do aparelho.

O tempo total de tratamento com o Sistema Damon foi em média 7,2 meses mais curto que os pacientes tratados com o Sistema Convencional. O Sistema Damon levou em média 20,3 meses, versus 27,5 do Sistema Convencional, uma diferença de 26,2% (fig.3). 8 anos depois, com maior confiança e conhecimento no Sistema Damon, melhorias no design e uma maior disponibilidade de ferramentas a minha disposição, não apenas consegui melhorar ainda mais meu tempo de tratamento, como a quantidade de casos com extração diminuiu ainda mais. Por causa da adaptação transversal posterior do arco alcançada com o Sistema Damon, pacientes que tinham arcos desalinhados e que eram tratados com extração agora tem
maior possibilidade de manter todos os dentes.

 

B. NUMERO DE CONSULTAS. Definido como todas as visitas a partir da colagem até a remoção do aparelho, incluindo emergências.

Pacientes tratados com o Sistema Damon necessitam em média de 14,8 menos visitas que os tratados com o Sistema Convencional. Os casos com o Sistema Damon requerem uma média de 16,2 consultas versus 31 dos casos tratados com o Sistema Convencional ligado com amarrilho, uma diferença de 47,7%. Ao incorpor protocolos de tratamento específicos para o sistema auto-ligado passivo e agendamento corretos, estamos conseguimos reduzir ainda mais nosso numero de visitas, sem sacrificar a nossa qualidade de tratamento ou serviço aos nossos clientes. Alguns dos protocolos que achei mais importantes para ajudar a eliminação da quantidade de consultas foram:
- educar nossos pacientes a eliminar consultas que não sejam verdadeiras emergências (como arcos que pinicam na região posterior, por exemplo)
- colagem dos segundos molares superiores e inferiores na consulta de colagem dos brackets.
- usar .013 ou .014 Copper Ni-Ti para nivelamento inicial.
- Tomar uma radiografia panorâmica depois do último arco Copper Ni-Ti para reposicionar os brackets conforme necessidade, antes de ir para os arcos de aço inoxidável.

 

C. INTERVALO ENTRE VISITAS. Definido como o numero de semanas entre as consultas agendadas regularmente.

Quando comecei a conduzir o estudo, eu agendava visitas a cada 4 a 6 semanas para ambos os sistemas. Mas conforme o estudo continuava, eu aumentei o intervalo
entre as visitas dos casos com o Sistema Damon para 6 a 8 semanas. Hoje, com a baixa fricção inerente ao Sistema Damon, que permite a continua ativação dos arcos super elásticos, permitem que agendemos visitas a cada 10 semanas rotineiramente. De fato, estou considerando aumentar o intervalo para 12 semanas como vários dos meus colegas que usam Damon estão fazendo. Ao combinar o Sistema Damon com o agendamento correto, o consultório se torna muito mais eficiente, administrável e produtiva, e com redução do stress geral. Comparativamente com os anos que usei o Sistema Convencional de brackets, meu pessoal e eu:
- vemos 38% menos pacientes por dia, o que faz com que o agendamento seja muito mais conveniente para todos...

Leia na integra clicando no botão abaixo

 

 

BAIXE A CONCLUSÃO COMPLETA EM PDF

Ortodontia: De Bom para Excelente

0 Comments

Submit a Comment