Como qualquer empresa, O sucesso de um consultório odontológico está totalmente relacionado a uma boa administração financeira. Entretanto, a graduação não prepara os dentistas para enfrentar os desafios de gerir sua própria clínica.

Pensando nisso, separei algumas dicas que se colocadas em prática em sua rotina diária te ajudarão a ter um lucro sustentável. Confira!

Dicas de Administração Financeira para Clínicas Odontológicas

Faça controle de receitas e despesas na administração financeira

Pode ser um processo desafiador de conciliar com a rotina de atendimento odontológico, com a de administrador da clínica, mas é indispensável controlar precisamente todos os valores que entram e saem do consultório, como recebimento de pagamentos de consultas e compras de materiais.

Minha recomendação é que este controle seja feito diariamente. Lembre-se que você pode e deve usar sua equipe para ajudar a fazer este trabalho, mas a supervisão e verificação deve ser sua responsabilidade.

Anote tudo, até mesmo gastos menores, pois podem somar quantias significativas. Lembre-se também de registrar tanto as despesas fixas (ou seja, recorrentes, como a conta de energia elétrica, telefone, condomínio, água, aluguel, etc) e as variáveis (que variam conforme o tipo de trabalho como o laboratório, materiais específicos para cada tipo de tratamento como braquetes ortodônticos, implantes, entre outros).

Hoje em dia, gastos desnecessários são a maior despesa de sua empresa. Para te ajudar a cortar gastos, separe as despesas em necessárias (investimentos) ou desnecessárias (desperdícios).

Por exemplo, investir R$ 300 em anúncios de divulgação na internet pode se demonstrar um investimento ou um desperdício. Se trouxer novas consultas e pacientes, será considerado um investimento. Por outro lado, se só gerar likes, talvez esta possa ser uma despesa desnecessária e que deve ser avaliada mais de perto. Fique atento para identificar onde você pode economizar!

Neste processo, o mais importante — independentemente de ser feito manualmente ou por meio de planilhas ou softwares — é a constância. Você deve ter disciplina para anotar todos os ganhos e gastos diariamente.

Este é o principal segredo para não perder o controle das finanças da sua clínica, já que mantêm todos as despesas e receitas visíveis.

Não misture as finanças pessoais com as do consultório

Evite a qualquer custo misturar as suas finanças pessoais com as do consultório. Isso porque, quando você não separa essas duas contas, é muito mais difícil identificar o que é pessoal e o que é empresarial.

Você acaba por não conseguir ver claramente se a empresa está dando lucro ou prejuízo, paga contas pessoais com o caixa da empresa ou tem de emprestar da sua conta Pessoa Física para pagar gastos da Pessoa Jurídica. Além de tornar muito difícil fazer o controle fiscal da sua empresa, o que pode gerar um problema com a Receita Federal.

Uma solução muito simples seria criar duas contas bancárias diferentes: uma PF e outra PJ.

Dê atenção ao valor da sua hora clínica

Você sabe como calcular sua hora clínica? Realizar esse cálculo corretamente é um dos pilares para ter um negócio bem-sucedido, já que ajuda a determinar um valor médio que deve ser cobrado dos pacientes.

De forma simples, para determinar o valor da sua hora clínica, você precisa somar todas as despesas fixas mensais (água, luz, salários de funcionários, aluguel, etc) e dividir esse total pelas horas de atendimento que você disponibiliza durante o mês. Depois, você deve identificar qual valor adequado a ser cobrado pelos serviços para garantir lucratividade.

Veja o exemplo:

Vamos supor que a soma de todas as suas despesas da clínica, incluindo o seu próprio salário é de R$ 10 mil. Você trabalha oito horas por dia, durante quatro semanas, ou seja, 160 horas por mês. Então, deverá calcular da seguinte forma:

10.000 (despesas totais) / 160 (horas trabalhadas) = 62,50

Ou seja, o custo da sua hora clínica é R$ 62,50. Mas, para garantir lucratividade ao consultório, você precisará cobrar um pouco a mais por cada hora de trabalho. Agora ficou mais simples de compreender, não é mesmo?

Você sabe qual o seu salário?

Ao fazer a administração financeira da clínica, uma das coisas que a maior parte dos profissionais costumam esquecer de considerar nas despesas é o valor da remuneração do próprio dentista.

Além de ser comum de esquecer de calcular o valor do seu próprio salário, muitos dentistas não se lembram de considerar as despesas extras em determinados períodos do ano como, por exemplo, férias e décimo terceiro salário e manter uma reserva para este período.

E, finalmente, o seu lucro é o que você conseguir faturar acima destes custos. Entendeu o porquê de necessidade de controle? A odontologia é um excelente negócio, mas precisa ser bem administrada para ser lucrativa e prazerosa.

Gostou das dicas de administração financeira que separei para você? Para conferir outros conteúdos que te ajudem a administrar seu consultório, siga acompanhando o blog do Meu Ortodontista.